Joinville – O Bancários Joinville participou nesta terça-feira (5), dia de mobilização nacional contra a reforma da Previdência, em ato na Praça da Bandeira, deixando uma clara mensagem aos parlamentares: se votarem a favor da PEC 287, que acaba com a aposentadoria dos brasileiros, não serão reeleitos. Além da retirada de pauta das mudanças nas aposentadorias, o protesto também é contra a reforma trabalhista, a terceirização e o desmonte dos serviços públicos.

A proposta da reforma da previdência, enviada pelo governo ao Congresso em dezembro de 2016, foi aprovada pela comissão especial da Câmara em maio deste ano, mas, desde então, não avançou por falta de consenso entre os parlamentares. “Vale dizer”, como lembra Valdemar Luz, presidente do Sindicato: “a pressão dos trabalhadores rendeu resultados. A votação da PEC 287, prevista para 6 de dezembro na Câmara dos Deputados, foi adiada.”

Os protestos em Santa Catarina ocorreram em São Miguel do Oeste, no Oeste e em Florianópolis. Pelo Brasil, houve protestos em capitais e cidades de norte a sul do país, com maior índice de participação popular na cidade de São Paulo.

Os diretores do Bancários Joinville iniciaram mobilização na segunda-feira (4), com panfletagem e diálogo com a categoria sobre os riscos que a aprovação da Reforma da Previdência representa para toda a sociedade. “Se a Reforma da Previdência é boa por que os políticos, militares e o judiciário estão fora?”, assevera Valdemar. “Na verdade não existe reforma; O que existe é a tentativa de levar a cabo este grande patrimônio do trabalhador e do povo brasileiro.”

O que está em jogo?

As mudanças propostas pela reforma da Previdência de Temer incluem aumento da idade mínima, ampliação do tempo de contribuição e redução dos valores dos benefícios. Na prática: trabalhar mais, ganhar menos e ainda correr o risco de nunca se aposentar. Redação Bancários Joinville

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *