Banco do Brasil apresenta proposta insuficiente e incompleta

São Paulo – O Banco do Brasil apresentou nesta terça-feira 7, na sexta rodada específica de negociação, uma proposta incompleta e insuficiente em relação às demandas dos funcionários, principalmente no que diz respeito às cláusulas econômicas. A proposta do banco é de manutenção da maioria dos itens do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e pela vigência que for firmada na mesa única de negociação. O BB acompanhou a proposta de reajuste oferecida pela Fenaban e ofereceu apenas o reajuste da inflação no período (1º de setembro de 2017 a 31 de agosto de 2018), ou seja, sem aumento real.

Na proposta do Banco do Brasil, houve ajustes em alguns pontos específicos. Um deles é a cláusula sobre ciclos avaliatórios para descomissionamentos. O banco havia proposto um semestre, mas agora propõe dois semestres.

Outras cláusulas serão discutidas, entre elas a proposta de intervalo de almoço e parcelamento de férias. O BB também não apresentou a proposta de renovação do protocolo de resolução de conflitos, que mantém um canal para as denúncias de assédio moral. A Comissão de Empresa avalia que assim como os ciclos de GDP, essa cláusula é uma proteção para os funcionários. Um ponto positivo da proposta é na cláusula de ausências autorizadas, onde serão incluídos padrastos e madrastas dos funcionários.

Veja como foram as negociações do BB
> 1ª rodada: BB mostra disposição para negociar com funcionários
> 2ª rodada: Resultado da negociação com o Banco do Brasil
> 3ª rodada: Terceira negociação com BB traz poucos avanços
> 4ª rodada: Banco do Brasil propõe reduzir prazo de descomissionamento
> 5ª rodada: Mesa de negociação com BB fica zerada na pauta econômica

SEEB – São Paulo

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.