Orgulho LGBT: é preciso continuar denunciando a intolerância

Brasília – Mais uma conquista para a comunidade LGBT. O Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que a homofobia e a transfobia são crimes, enquadrados na mesma lei que trata do racismo (7.716, de 1989).

Por 8 votos a 3, os ministros entenderam que o Congresso não pode deixar de tomar as medidas legislativas que foram determinadas pela Constituição para combater atos de discriminação.

O avanço veio próximo da semana em que São Paulo recebe a Parada do Orgulho LGBT e uma série de eventos, em vários locais da cidade, para diversos públicos.

Para o dirigente sindical Anderson Pirota, a decisão é fruto da mobilização e constante pressão da população LGBT. “Direitos não vêm de graça, e o discurso de ódio que foi chancelado nas urnas não pode prosperar”, afirma.

A categoria bancária já conta com uma série de conquistas para os LGBT. Uma delas é a Mesa de Igualdade de Oportunidades, que também discute avanços para lésbicas, gays, bissexuais e transexuais nos bancos. Outra, da Campanha 2018, é a realização do 3º Censo da Diversidade Bancária, cujos dados serão colhidos até outubro e o resultado será divulgado em 2020. O objetivo é embasar debates e promover respeito e maior diversidade no setor bancário. SEEB – São Paulo

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.