Movimento sindical consegue suspensão da MP 905 para os bancários

São Paulo – O movimento sindica se reuniu nesta quinta-feira 14 com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) para tratar da Medida Provisória 905/2019, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro na última segunda-feira 11. Os sindicalistas conseguiram segurar a implantação da MP 905/2019 até que seja concluída a negociação com a representação da categoria.

Durante a reunião, os representantes dos bancários deixaram claro que repudiam os pontos da MP e que não vão aceitar o trabalho aos sábados; nem a extensão da jornada para 44 horas semanais. Tampouco serão aceitas as alterações estipuladas pela MP que permitem a negociação da PLR sem a participação das entidades sindicais e que desrespeitem os pisos salariais da categoria, definidos na CCT.

Próxima reunião será realizada no dia 26

Os bancos cederam à pressão e concordaram com a suspensão da aplicação da MP até nova negociação que ocorrerá dia 26. A proposta do movimento sindical é construir um aditivo à CCT, válido até dezembro de 2020, que garanta todos os direitos da categoria e neutralize a MP em todos os pontos que atingem os bancários.

A comissão de negociação dos bancos se comprometeu a defender perante o setor a assinatura deste aditivo. Dia 26, serão debatidos os detalhes do texto do aditivo à CCT.

Valdemar Luz, presidente do Bancários Joinville alerta: “É cedo para comemorar. Precisamos estar atentos e manter a categoria mobilizada e preparada. Se as negociações não prosseguirem, reabriremos a Campanha Salarial e daremos curso à maior paralisação da história dos bancários”, conclui. SEEB-SP com edição Redação Bancários Joinville

 

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.