Joinville – O Sindicato dos Bancários de Joinville e Região marcou presença no protesto desta sexta-feira 14, organizado pelas centrais sindicais em defesa do INSS e contra o sucateamento do atendimento à população. Manifestações ocorreram em todo o país. Em Joinville, trabalhadores de diferentes categorias se reuniram em frente à agência do INSS no centro da cidade, que é a maior do estado de Santa Catarina.

“Eu já parto do princípio que os bancários representam 1% dos trabalhadores do Brasil e utilizam 5% das demandas do INSS, logo, são uma das categorias que mais necessita da instituição e, além de esperar meses o que antigamente se fazia em 20 minutos, vem tendo seus benefícios negados ou cassados por incentivo do Governo. Por isso participamos hoje desta atividade nacional contra a gestão do governo no INSS, em que a precarização do atendimento à população brasileira vem se agravando”, explicou Valdemar Luz, presidente do Bancários Joinville e Secretário Regional Adjunto da União Geral dos Trabalhadores.

Valdemar lembra que quando a população procura o INSS não está pedindo nenhum favor, pois é dinheiro público que está sendo colocado ali. E o direito à aposentadoria e à assistência social estão previstos na Constituição. O indeferimento da concessão de benefícios previdenciários tem causado verdadeiros desastres em famílias brasileiras.

“O governo não pode economizar às custas do povo, é preciso lutar e denunciar esta situação. Paulo Guedes defende a ideia de que os serviços públicos precisam ser desmontados para colocar serviços privados no lugar. Sabemos que vem aí uma reforma administrativa que, na verdade, vem para demitir servidores e acabar com os concursos”, conclui.

O governo Bolsonaro promove o fechamento de agências do INSS, não investe em equipamentos e não realiza concurso público para repor servidores que se aposentaram, morreram ou saíram do órgão. Alega não ter recursos para contratar, mas a “solução” encontrada, de chamar militares da reserva, sem qualquer qualificação para desempenhar as funções dos servidores do INSS, custará R$ 174 milhões por ano aos cofres públicos.

Tal caos generalizado não se dá por incompetência do sistema. O INSS funcionava e cumpria sua função nos governos anteriores, mas a fila de desassistidos cresceu muito em 2019. O caos, portanto, é fruto de uma política perversa e desumana deste governo. E quem mais sofre com isso são os trabalhadores adoecidos e os mais pobres, que precisam do benefício para pagar suas contas e sobreviver.

O protesto contou com a participação de diversos Sindicatos e movimentos sociais de Joinville e da região. Redação Bancários Joinville

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.