Duas semanas de luta: não tem arrego, banqueiro!

A greve dos bancários completou duas semanas em todo o Brasil. Os trabalhadores estão com as atividades paralisadas porque os bancos, setor que mais lucra no país, recusam-se a pagar aumento digno aos funcionários. Também disseram não a outras reivindicações fundamentais como mecanismos de proteção ao emprego. Apesar de bater a casa dos R$ 29,7 bilhões de lucro, nos sete primeiros meses deste ano, os bancos extinguiram quase 8 mil postos de trabalho.

Segundo informações da Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação – CEBNN/CONTEC, já são mais de 60% das agências do país fechadas, ou seja, a maior greve da história. Até o momento, a FENABAN não apresentou contraproposta diferente dos 7% de reajuste salarial e R$ 3,3 mil de abono, oferecidos no dia 09/09.

A oferta dos bancos sequer cobre a inflação do período registrada em 9,64%. O pedido da categoria é de pelo menos 5% de aumento real. “Nossa reivindicação é de 15% de reajuste salarial. O que eles oferecem não cobre nem mesmo as perdas inflacionárias. E, é importante explicar que o abono não reflete nas férias, 13º salário, FGTS, previdência”, calcula o coordenador da CEBNN/CONTEC, Lourenço Prado.

Nas capitais a greve segue fortalecida, avançando com mais e mais agências fechadas todos os dias. No interior, o movimento também se intensifica e hoje, mais registros de bancários aderindo ao movimento paredista.

Joinville e região

Nesta segunda-feira, depois da pressão dos bancos de sexta, lentamente estamos retomando a iniciativa: ficaram paralisadas 41 agências de um total de 63. Continuam com atendimento em Joinville apenas as seguintes agências: Banco do Brasil – prédio do Centro, Cidade das Flores e América. Caixa Federal – atendimento parcial nas agências Costa e Silva, Neudorf e Orquídeas e atendimento normal na agência Iririú. Banrisul segue com suas duas agências abertas.

Nos privados, o banco Bradesco segue com 11 agências abertas (estão paralisadas as agências Centro, Tupy, América, Príncipe e Shopping Americanas). HSBC: duas agências abertas.

Na base do Sindicato a greve segue com paralisação das agências da Caixa Federal em Itapoá, Barra do Sul, Araquari, e Barra do Sul, além do Banco do Brasil em São Francisco do Sul. Das 18 agências nas cidades satélite do Sindicato, temos 5 agências paralisadas.

Reunião no Banco do Brasil

O Bancários Joinville realizou uma importante reunião também nesta segunda-feira com os empregados do Banco do Brasil que trabalham nas agências e departamentos do prédio da Luiz Niemeyer. Com o final da reunião, cerca de 30% dos colegas aderiram à greve da categoria.

Principais reivindicações dos bancários nesta Campanha Salarial 2016/2017

– Reajuste salarial: 15% (cerca de 5% de aumento real)
– PLR de 3 salários mais R$ 8.317,90
– Piso salarial no valor de R$ 3.940,24
– Vale alimentação/Vale Refeição/ 13ªCesta alimentação/ Auxílio-creche e/ou babá, no valor de R$ 957,50 mensais/cada

 

 

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.