Sindicalistas pedem que reforma trabalhista tramite sem urgência no Congresso

O presidente Michel Temer (PMDB) recebeu na tarde desta terça-feira (17) um documento assinado pelos presidentes de seis centrais sindicais que pedem que a reforma trabalhista tramite “pela via regular, normal” na Câmara e no Senado, sem regime de urgência.

“Dada a relevância do tema, consideramos fundamental estabelecer com os trabalhadores e seu movimento, com o conjunto da sociedade, com o governo e o Congresso Nacional, um amplo e democrático processo de debate e negociação acerca desse projeto de lei”, diz o texto.

O documento é assinado pelos presidentes da Força Sindical, Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Coube ao presidente da Força Sindical, deputado Paulinho da Força (SD-SP), entregar o documento ao presidente, em audiência nesta tarde. “A reforma trabalhista junto com esse projeto [da reforma da Previdência] complicaria a nossa vida”, disse o deputado, que defendeu a existência de um tempo de negociação para discutir pontos da reforma trabalhista. Estadão

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.