#contraodesmontedaclt

17/04/2018
Sindicato dos Bancários presente com o Fórum Sindical dos Trabalhadores

São Paulo – O Fórum Sindical dos Trabalhadores, que representa Confederações urbanas e rurais, realizou nesta terça (17), Encontro Preparatório para o Congresso Nacional dos Trabalhadores, que ocorre no mês de agosto, em Praia Grande, Litoral paulista.

Cerca de 250 dirigentes, representando 18 Estados, atenderam ao evento. “Debater a conjuntura nacional e suas consequências na vida dos trabalhadores e do movimento sindical foi o objetivo do encontro”, diz Valdemar Luz, presidente do Bancários Joinville. “Se passaram cinco meses desde a aprovação da reforma trabalhista, e o que temos de resultado concreto é menos empregos e mais trabalho precário; menos consumo e mais arrocho salarial; menos crescimento econômico e mais concentração da renda”, alerta Luz.

Com as resoluções propostas e aprovadas em plenária neste encontro, o Congresso de agosto vai reforçar propostas de resistência à nova lei trabalhista, superação das dificuldades cotidianas das entidades e também unificar ações voltadas ao custeio. Valdemar assevera ainda a importância do debate político: “O movimento sindical simplesmente não consegue se organizar frente às eleições; É cada um para si, com seus egos e times. Temos 129 de 513 parlamentares à favor do trabalhador, e isso numa média bem otimista. O início da solução para todos os nossos problemas passa pelo voto consciente e classista”, conclui.

Envolvimento das Federações

“Há a necessidade das federações estarem envolvidas, organizando seus sindicatos à luta! Não há mais por que deixar dinheiro guardado; As federações tem de investir em formação e qualificação de nossos dirigentes, preparando as bases para a mobilização”, conclui Valdemar.

“O trabalho precisa começar na base, conscientizando os trabalhadores de seus direitos através da formação; e principalmente da consciência política e de classe”, assevera Paulo Coelho, diretor para assuntos de bancos públicos/BB do Bancários Joinville. “Mas a organização dos Sindicatos parte das federações, este é seu papel e precisa ser cumprido”, ressalta Coelho.

Movimento Basta! – O movimento, que nasceu de um fórum, tem o objetivo de formatar, monitorar e desenvolver políticas públicas baseadas na agenda das 71 entidades que compõem seu quadro, além de certificar candidatos que pretendem concorrer ao parlamento em 2018.

Para se certificar, os candidatos indicados pelos membros do movimento serão avaliados de maneira criteriosa, com pesquisas sobre a “ficha limpa” e os compromissos com a agenda de reformas sociais. Além de centrais sindicais, fazem parte do Basta entidades da iniciativa privada e do setor público, organizações não governamentais, associações ligadas à imprensa e outras representações classistas.

O sindicalismo deve divulgar candidaturas comprometidas com o desenvolvimento nacional. O FST apoia o Movimento Basta, que participou do encontro. A ideia é montar uma plataforma digital, que vai ajudar na escolha de nomes alinhados às bandeiras populares e trabalhistas. O movimento sindical deverá informar às bases o perfil dos candidatos novos ou dos que buscam a reeleição. O movimento deve lançar candidatos também, para ocupar mais espaço político.

O encontro foi realizado no Leques Brasil Hotel, na Liberdade, região central de São Paulo. Agência Sindical com Redação Bancários Joinville


06/11/2017
Baixe o Informativo n° 1 do Movimento Resistência

Joinville – O Bancários Joinville disponibiliza abaixo para toda a categoria e sociedade em geral, a primeira edição do informativo do Movimento Resistência.

Leia, estude, copie, compartilhe!

Movimento Resistência Informativo N° 1 ]


28/10/2017
Movimento Resistência – assine o Projeto de Lei de Iniciativa Popular

#contraodesmontedaclt

Munido de seu Título de Eleitor, procure um dirigente sindical do Bancários Joinville e assine o Projeto de Lei de Iniciativa Popular para anular a lei 13.467/17, ou imprima nosso abaixo-assinado e ajude a angariar apoio entre familiares, vizinhos e colegas de trabalho; campanha prevê a coleta de pelo menos 1,3 milhão de assinaturas.

Prazo: 21/11/2017

Joinville – A lei da reforma trabalhista que protege os interesses dos empregadores e acaba com direitos previstos na CLT, entrará em vigor no dia 11 de novembro. Para impedir esse retrocesso, o FST – Fórum Sindical dos Trabalhadores, formado por 22 confederações nacionais, entre elas a CONTEC – Confederação Nacional dos Trabalhadores Nas Empresas de Crédito, do qual o Bancários Joinville é afiliado, lançou o Movimento Resistência – Por Um Brasil Melhor, que visa resistir e impedir o desmonte proposto pela legislação trabalhista aprovada recentemente por parlamentares traidores do povo brasileiro a serviço do desgoverno Temer e do grande capital e dos especuladores.

A “nova” lei (13467/17), camuflada de reforma trabalhista, entrará em vigor em novembro. Ela agride em vários pontos a Constituição Federal e, ao contrário do que o governo diz, enganosamente, não gerará emprego, aumentará os acidentes de trabalho.

Um dos instrumentos do Movimento Resistência é um abaixo-assinado em apoio ao Projeto de Lei de Iniciativa Popular para revogar a nova lei trabalhista 13.467/2017 e adequações das Leis 6.019/1974 (Trabalho Temporário), 8.036/1990 (FGTS) e 8.212/1991 (Custeio da Previdência Social).

Para que o projeto seja protocolado na Câmara dos Deputados é necessário que ele tenha o número suficiente de assinaturas, que corresponde a 1% do eleitorado brasileiro, ou seja, pelo menos 1,3 milhão de assinaturas.

É importante que os bancários e bancárias participem assinando o projeto de lei e ajudando nesse trabalho: “Pedimos que cada colega bancário converse com seus colegas de agência, com seus vizinhos e com seus familiares e participe intensamente dessa luta”, assevera o presidente do Bancários Joinville, Valdemar Luz.

Saiba como participar

Quer participar da campanha? Pegue seu Título de Eleitor e procure um dirigente sindical e peça para assinar a lista em apoio ao Projeto de Lei de Iniciativa Popular. Você também pode imprimir a lista CLICANDO AQUI, e coletar assinaturas de amigos, parentes, colegas de trabalho.

Mas atenção, o prazo é 21/11, pois o Sindicato precisa enviar todas as assinaturas recolhidas para a CONTEC. Redação Bancários Joinville


06/10/2017
Movimento Resistência – Lançamento no Bancários Joinville

#contraodesmontedaclt

RESISTIR E DERROTAR A LEI DA ESCRAVIDÃO TRABALHISTA!

Direitos históricos dos trabalhadores estão ameaçados como nunca.

O Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), integrado por 22 confederações nacionais, centenas de federações e milhares de sindicatos em todo o País, representantes de milhões de trabalhadores, conclama a todos para resistir e impedir o desmonte proposto pela legislação trabalhista aprovada recentemente por parlamentares traidores do povo brasileiro a serviço do desgoverno Temer e do grande capital e dos especuladores.

A “nova” lei (13467/17), camuflada de reforma trabalhista, entrará em vigor em novembro. Ela agride em vários pontos a Constituição Federal e, ao contrário do que o governo diz, enganosamente, não gerará emprego, aumentará os acidentes de trabalho, e as doenças ocupacionais, elevando o custo para a Previdência Social.

Só uma ação de resistência e conscientização barrará tamanho retrocesso. E só uma nova representação política e parlamentar conseguirá promover um novo projeto de desenvolvimento para o Brasil, com crescimento e qualidade de vida para todos.

Até lá, vamos usar todas armas da democracia que estiverem ao nosso alcance: as ações permanentes nos locais de trabalho a mobilização nas ruas, a resistência nas convenções e acordos coletivos de trabalho e as ações na Justiça do Trabalho.

DENÚNCIA À ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO – OIT

O FST já levou à Organização Internacional do Trabalho – OIT, um órgão da ONU que o Brasil é signatário, a denúncia da Lei da Escravidão Trabalhista.

BARRAR O ASSALTO ÀS APOSENTADORIAS!

Além do desmonte da legislação trabalhista, o desgoverno de Temer, com o respaldo dos deputados e senadores que o apoiam, muitos deles denunciados e até já condenados por corrupção, quer aprovar a “reforma” da Previdência.

O objetivo é um só: ampliar o tempo de contribuição e aumentar a idade mínima para se aposentar. Se as regras dessa “reforma” forem aprovadas, milhões de trabalhadores, principalmente os que começam a trabalhar muito cedo, simplesmente não conseguirão se aposentar. É o maior assalto às aposentadorias que um governo já propôs.

VEJA QUEM ESTÁ DO NOSSO LADO

Os trabalhadores não estão sozinhos nessa luta. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), os magistrados da Justiça do Trabalho, os representantes dos estudantes e das mulheres e a CNBB já se manifestaram contra essa lei que massacra os direitos dos trabalhadores.

Por isso, a chance de vencer essa batalha é grande.

UM PROJETO PARA O BRASIL

Os trabalhadores, através de suas organizações sindicais, também têm um projeto para o Brasil baseado no desenvolvimento econômico sustentável e soberano, com justiça social e ética na política.

Para isso, sustentamos a necessidade de uma série de verdadeiras reformas (financeira, bancária, tributária, política, agrária, etc.) que assegurem os recursos necessários para a retomada dos investimentos públicos e a recuperação dos e empregos e da renda dos brasileiros e a melhoria de suas condições de vida (saúde, educação, moradia, segurança, etc.).

APOIO AO PROJETO PARA REVOGAR O DESMONTE DA CLT!

O FST realizará manifestações e reuniões com trabalhadores e lideranças sindicais em todos os estados brasileiros a partir do mês de setembro e, em novembro, quando está previsto o início da validade da “nova” lei, pretendemos fazer grande mobilização em Brasília.

Durante esse período, estaremos coletando assinaturas para a apresentação de um Projeto de Lei de Iniciativa Popular para revogar a Lei da Escravidão Trabalhista a ser apresentado ao Congresso Nacional.

Queremos reunir mais de um milhão de assinaturas para mostrar que a força dos trabalhadores e da sociedade é muito maior.

ENTIDADES QUE INTEGRAM O FST – FÓRUM SINDICAL DOS TRABALHADORES:

CNTI ▪ CNTTT ▪ CNPL ▪ CONTTMAF ▪ CONTEC ▪ CONTCOP ▪ CNTEEC ▪ CONTAG ▪ CONTRATUH ▪ CNTM ▪ CNTA ▪ CNTS ▪ COBAP ▪ CSPB ▪ CNTQ ▪ CONTRICOM ▪ COBRAPOL ▪ CNTV ▪ CONATEC ▪ CONATIG ▪ CSPM ▪ CONACATE

Participe conosco desta luta que é de todos os brasileiros!!

Contamos com você!


06/09/2017
Movimento Resistência – Por um Brasil Melhor!

#contraodesmontedaclt

O presidente da Contec, Lourenço Prado, participou na manhã de ontem (05/09) do lançamento do Movimento Resistência – Por um Brasil Melhor, uma campanha nacional organizada pelo Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST). A solenidade aconteceu no Hotel Nacional em Brasília- DF e reuniu lideranças sindicais, jurídicas, da sociedade civil organizada e especialistas em Direito do Trabalho e em Direito Previdenciário.

“Nosso objetivo é unir forças contra as reformas trabalhistas e previdenciária. O povo brasileiro sabe que essas reformas são desnecessárias, inoportunas e injustas. Estão querendo punir o trabalhador! Juntos, acredito que podemos barrar isto!”, avaliou Lourenço Prado.

A campanha vai buscar, com apoio das bases sindicais nos estados, a conscientização da população sobre os retrocessos defendidos pelo atual governo, com a reforma trabalhista (Lei nº 13.467/2017) e a aprovação da reforma da Previdência(PEC 287/16). Ao percorrer o Brasil, o grupo também irá recolher assinaturas para tentar aprovar um projeto de lei de iniciativa popular que revoga as “reformas”, com a entrega prevista para o mês de novembro, na Câmara dos Deputados.

A programação se estende até 8 de novembro e contará com atos públicos e entrega de projeto de lei de iniciativa popular na Câmara dos Deputados. O objetivo do movimento nacional é denunciar aos trabalhadores, aposentados, pensionistas e à sociedade em geral os efeitos prejudiciais do que chama de “desmonte da legislação trabalhista”.

Diretoria Executiva da CONTEC

Bancarios Joinville

A página do Sindicato dos Bancários de Joinville é um instrumento de informação, formação e interação com a categoria e a comunidade em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *